MAR inaugura a exposição Gira, do artista Jarbas Lopes, no próximo dia 16

Por Redação

A mostra individual promove uma visão utópica do mundo e nos instiga a questionar o destino final dos objetos que descartamos.

Gira, palavra imperativa que expressa movimento. Movimento esse, que o artista Jarbas Lopes faz com os objetos, ressignificando e apresentando obras que propõem interações  pautadas pela coletividade. Essa é a ideia da nova exposição do Museu de Arte do Rio: Gira. A mostra individual de Jarbas Lopes, que promove uma utópica visão de mundo, nos instiga, entre outras coisas, a questionar o destino final dos objetos que descartamos. Na exposição, o artista com trinta anos de trajetória na arte contemporânea brasileira, lida diretamente com o espectador, convidando o público a estar no museu e a interagir com as obras criando uma participação ativa com algumas das peças.

O processo criativo de Jarbas permeia uma reconfiguração dos objetos e das experiências estéticas, dando um novo significado e movimento, sempre permeados por um tom crítico. O artista usa objetos que foram descartados nas ruas, como jornais, revistas, faixas de divulgação de shows e até propaganda política, que ganham novos significados. Ele cria ambientes que trazem histórias chaves para ampliar as arestas da arte e usa materiais do cotidiano como carros, bicicletas, tintas e elásticos. Suas esculturas e pinturas interativas fazem uma fusão entre tempo, espaço e circunstâncias práticas e ideológicas como participação coletiva, sociabilidade para espaços públicos e usos compartilhados da cidade.

“Há um bom tempo que eu tenho pensado nesse caminho que as pessoas podem fazer aqui nessa exposição. É um caminho circular. Circular é pra mim uma referência de pensar a minha expressão. O circular é aquela coisa que vai se repetindo. É o ritmo da própria vida e a arte faz parte disso. Eu trabalho as coisas que vão e voltam, evoluem um pouco, mas vão e voltam” conta o artista Jarbas Lopes.

A exposição, que tem curadoria de Amanda Bonan e Marcelo Campos, apresenta cerca de 100 obras que fazem parte da produção do artista, além de trabalhos inéditos e projetos que só existiam até agora no papel. O público vai encontrar diferentes tipos de obras de Jarbas como esculturas, pinturas, fotografias, desenhos, livros, maquetes e instalações.

“É uma exposição que o tempo todo quer o público e convida o público a estar no museu. O público não precisa entender antes de ver. O ver e o entender estão aliados. O que você está vendo é exatamente o que você precisa para entender o trabalho. Cada um pode interpretar da sua maneira, mas a interpretação não é um empecilho para estar em uma sala da exposição do Jarbas. Porque ela também te convida a usar diversos sentidos” ressalta o curador-chefe do MAR, Marcelo Campos.

Na mostra, o público é levado a se questionar sobre a obsolescência dos produtos: por que jogar fora? Quando uma máquina deixa de servir? O que fazer com os restos e sobras? A obra de Jarbas Lopes nos faz refletir sobre os descartes em um Brasil cujas florestas se tornam desertos. De muitos modos, os objetos que o artista nos oferece se mantêm em uso. Enquanto isso, o artista nos convida a ler e a interpretar o mundo. Não há sobras no trabalho dele. Até os restos entram no pensamento de uma outra parte do trabalho.

“A exposição de Jarbas Lopes chega ao MAR num momento muito oportuno: perto da semana do meio ambiente e das discussões da Rio +30. Ele é um artista que traz consciência ecológica em todos seus trabalhos e nos faz refletir sobre a preservação da biodiversidade brasileira. Acreditamos no importante papel do MAR para a discussão, dialogando com a conscientização sobre o futuro dos nossos ecossistemas e com a preservação de toda biodiversidade.” defende Raphael Callou, Diretor e Chefe da representação da OEI no Brasil, organização responsável pela gestão do museu desde janeiro deste ano.

Gira inaugura para o público no dia 16 de junho, com entrada gratuita, e ficará no MAR até o dia 16 de outubro

O Museu de Arte do Rio

Iniciativa da Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o Museu de Arte do Rio passou a ser gerido pela Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) desde janeiro deste ano, apoiando as programações expositivas e educativas do MAR a partir de um conjunto amplo de atividades para os próximos anos. “A OEI é um organismo internacional de cooperação que tem na cultura, na educação e na ciência os seus mandatos institucionais, desde sua fundação em 1949.

O Museu de Arte do Rio, para a OEI, representa um instrumento de fortalecimento do acesso à cultura, intimamente relacionado com o território, além de contribuir para a formação nas artes, tendo no Rio de Janeiro, por meio da sua história e suas expressões, a matéria-prima para o nosso trabalho”, comenta Raphael Callou, diretor e chefe da representação da OEI no Brasil.

Após o início das atividades em 2021, a OEI e o Instituto Odeon celebraram parceria com o intuito de fortalecer as ações desenvolvidas no museu, conjugando esforços e revigorando o impacto cultural e educativo do MAR, onde o Odeon passa a auxiliar na correalização da programação.

O Museu de Arte do Rio tem o Instituto Cultural Vale como mantenedor, a Equinor como patrocinadora master  e o Grupo Renner como apoiador, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A Escola do Olhar conta com o patrocínio da Wilson Sons e Machado Meyer Advogados via Lei Federal de Incentivo à Cultura. Por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS, é também patrocinada pelo RIOgaleão e Icatu e tem a Cultura Inglesa como apoiadora Educacional. O Instituto Olga Kos patrocina os recursos de acessibilidade do MAR.

O MAR conta ainda com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e realização da Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e do Governo Federal do Brasil, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o MAR tem a gestão da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) e o Instituto Odeon como correalizador das atividades. Agradecimento especial ao projeto Judaica no MAR.

 Mais informações em www.museudeartedorio.org.br

Serviço:

Exposição Gira

Dia 13: Pré-abertura para convidados e imprensa

Dia 16: Abertura para o público ( com entrada gratuita)

Local: Praça Mauá, 5 – Centro

Funcionamento: De quinta a domingo, de 11h às 18h (Última entrada no pavilhão às 17h)

Preço: R$ 20 (Inteira) R$ 10 (Meia) / Conferir política de gratuidade e meia-entrada no site e redes sociais do MAR.

Agradecemos pela sua visita, por ler essa matéria e principalmente pelo prestígio da vossa audiência!

Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça o nosso conteúdo jornalístico e de entretenimento, e que também continuem nos prestigiando e se possível, nos seguindo em nossas redes sociais através do:

Instagram: https://www.instagram.com/sambrasilturismoecultura/                 

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCRQn6jlELDq9C57WGQegATw                 

Facebook: https://www.facebook.com/SambrasilTurismoeCultura               

Twitter: https://twitter.com/PortalSambrasil               

Spotify: https://open.spotify.com/user/x8yhy7k5ox83rzi81pxo3nikp                

SoundClound: https://soundcloud.com/sambrasilpodcasts                 

Torcemos para que tudo esteja bem com você e com toda a sua família. Cuide-se!

PARA EVITAR O CONTÁGIO PELO CORONAVÍRUS E DE SUAS VARIANTES, INCLUSIVE JÁ EXISTEM AS MAIS NOVAS, CHAMADAS DE ÔMICRON XE E A ÔMICRON XQ, BASTANTE CONTAGIOSA. ALÉM DAS TRADICIONAIS DOENÇAS/SINDROMES RESPIRATÓRIAS, ENTRE ELAS JÁ ESTÁ CIRCULANDO O VRS (VÍRUS SINCICIAL RESPIRATÓRIO). E AINDA, JÁ TEM CONFIRMADO NO BRASIL, O PRIMEIRO CASO DA “VARÍOLA DO MACACO”.

AS TRÊS REGRAS BÁSICAS QUE SALVAM E PRESERVAM VIDAS DEVEM SER SEGUIDAS E ADOTADAS: USO DE MÁSCARA, HIGIENIZAÇÃO E A NÃO AGLOMERAÇÃO / DISTANCIAMENTO SOCIAL.

AH! VACINE-SE! A VACINAÇÃO LHE AJUDARÁ MINIMIZANDO OS CASOS GRAVES.

A PANDEMIA AINDA NÃO ACABOU!

E SE NÃO HOUVER UMA COINCIENTIZAÇÃO RADICAL DA POPULAÇÃO PARA RETOMADA E ATENÇÃO PRIORITÁRIA PARA OS CUIDADOS COM A PRESERVAÇÃO DA VIDA, AÍ MESMO, É QUE REALMENTE NÃO TEREMOS, COM NÚMEROS VERDADEIROS, INFORMADOS PELOS ÓRGÃOS COMPETENTES E A GRANDE MÍDIA, UMA REDUÇÃO DRÁSTICA DE CONTAMINAÇÃO E MORTES POR COVID E SUAS VARIANTES.

O primeiro nascer do sol de 2017

Foto: Len Marcelo Jingco Para quem deseja a experiência de ser um dos primeiros no mundo a ...

Learn more

Related posts