Covid-19/Coronavírus: Isolamento Social não é férias

Por Marcelo Faria

O Portal Sambrasil Turismo e Cultura em total apoio as medidas tomadas pelo Ministério da Saúde, continua firme em seu propósito de informar, e informar com responsabilidade e credibilidade, para prevenção do avanço AVASSALADOR do contágio pelo CORONAVÍRUS, responsável pela doença COVID-19.

Sim, é hora de refletir sobre o seu comportamento social. Cabe aqui uma reflexão: Em tempos que a maioria dos seres humanos deixaram de “ser humanos”, principalmente pelo afastamento da Doutrina Cristã.

Que tal fazer o bem! O maior beneficiado será você mesmo. Então, pare de pensar e agir com EGOÍSMO.

Daí a importância do isolamento social, para evitar que o surto alastre enquanto ainda não está disseminado. O QUE JÁ NÃO É MAIS O CASO DO BRASIL.

Medidas do dia a dia, como lavar as mãos e evitar aglomerações, reduzem o contágio da doença. Sem a adoção das recomendações, o número de casos do coronavírus podem dobrar a cada três dias.

“ESTAR EM ISOLAMENTO NÃO É ESTAR DE FÉRIAS”

“Não é fechar a escola e os alunos atravessarem a rua e irem para o centro comercial confraternizar”

“Não é dizer que é consciente e no primeiro final de semana, mesmo com as medidas tomadas pedindo o isolamento social e para que a população fique em casa, aí vemos uma multidão nas praias”

“Não é dizer: “eu te amo” e na hora de provar o seu amor pelo próximo, faz tudo diferente do que é orientado”

“Não basta dizer que toma todas as medidas de higiene, no entanto, vai à rua sem necessidade, não lava as mãos de forma adequada, deixa seus filhos com os IDOSOS (que são mais vulneráveis ao contágio), assim como as próprias crianças e grávidas”

“Não basta o comerciante afirmar que está de acordo com as práticas corretas e justas de comércio, se no momento mais difícil, onde a procura é maior que a oferta. Esse comerciante aumente os preços, visando um maior lucro com a situação”

“Não adianta dizer que segue as determinações e orientações do Ministério da Saúde, mas, toma as decisões e atitudes de acordo com as suas próprias conclusões. Mude seu comportamento!”

BOMBEIROS PEDEM APOIO DA POPULAÇÃO CARIOCA – Reprodução redes sociais

CENÁRIO DE ALTA TRANSMISSÃO

No caso de um novo cenário, em que a transmissão estiver alta, a mudança de comportamento e rotina será imprescindível no enfrentamento do coronavírus. Nesse sentido, adotar horários alternativos para evitar aglomeração de pessoas é uma das recomendações, como fazer as compras e utilizar o transporte público, por exemplo, fora do horário de pico. Quanto à frequência nas academias, a orientação é de optar por se exercitar ao ar livre em vez de fazer aulas de ginástica em locais fechados.

“Essas medidas são recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e foram – e estão – sendo utilizadas nos países em que se encontram em surto para diminuir a transmissão dos vírus. O que não queremos é chagar ao nível da Itália. Por isso precisamos nos antecipar”, explicou o secretário Wanderson de Oliveira, secretário de Vigilância em Saúde.

O plano deve incluir também a compra de suprimentos para ter mão caso a pessoa fique doente ou cuidando de alguém da família enfermo. Com isso não haverá necessidade de sair de casa até a pronta recuperação. “Tudo isso deve ser feito de maneira racional, evitando compra exagerada e desnecessária”, ressalta Wanderson de Oliveira.

Para idosos, doentes crônicos e pessoas com outras condições especiais, como tratamento de câncer, transplantados, doente renais, a recomendação é conversar com o médico para que as receitas de medicamentos sejam renovadas e, se possível, dadas por um tempo maior. A medida é para evitar a necessidade de ir à farmácia do posto de saúde ou do bairro no período de maior circulação de vírus respiratórios (influenza, por exemplo).

Caso a pessoa contraia o coronavírus, apenas o médico pode aconselhar se o atendimento hospitalar for mais apropriado. No entanto, se for cuidador da pessoa com coronavírus, a recomendação é consultar as orientações para profissionais de saúde ao cuidar de alguém com COVID-19 em ambiente hospitalar. As orientações estão em www.saude.gov.br/coronavirus .

DENTRO DE CASA: QUE CUIDADOS DEVO TER?

Não podemos esquecer que as famílias são constituídas por vários elementos dispersos por vários contextos e realidades. E quando a escola e o trabalho acabam, essas diferentes realidades juntam-se, por exemplo, à mesma mesa. Pelo caminho, fizeram compras e cruzaram-se com ainda mais realidades. Daí a importância do isolamento social, para evitar que o surto alastre enquanto ainda não está disseminado. O QUE JÁ NÃO É MAIS O CASO DO BRASIL.

A importância da separação e da limpeza: das mãos e de todas as superfícies, onde possa existir a infeção.

“Têm que estar idealmente separados dos coabitantes, e se for possível usarem uma casa de banho própria. Atenção muito clara ao desenvolvimento de sintomas. Uma vez desenvolvendo-se, devem sinalizar-se desde já às equipes que estão responsáveis pela vigilância ativa/saúde.”.

 É preciso um cuidado adicional na limpeza das superfícies que possam, eventualmente, ter sido contaminadas pela presença de uma pessoa que está em isolamento. Ser mais proativo na limpeza da casa, principalmente nas superfícies em que haja manipulação.

SEPARAÇÃO E LIMPEZA: TÃO IMPORTANTE COMO LAVAR AS MÃOS

O novo coronavírus sobrevive em superfícies metálicas até 9 dias e nos tecidos entre 6 a 8 horas. Nas mãos o Covid-19 só consegue sobreviver entre 5 a 10 minutos, mas muito pode acontecer nesse tempo e basta levar as mãos à cara (olhos, nariz boca).

Lavar as mãos frequentemente e limpar todas as superfícies suscetíveis de estarem infetadas é por isso vital, em especial se já existir um caso confirmado em casa.

OUTROS CONSELHOS IMPORTANTES PARA FAZER DURANTE O ISOLAMENTO

Mantenha-se informado: consulte diariamente as informações oficiais sobre a evolução da Covid-19 e as recomendações às populações

Continue em contato com os familiares, para mitigar o isolamento. Uma ótima oportunidade para cuidar e dar atenção uns aos outros, no entanto a convivência deve ser com muita responsabilidade.

Relaxe: Sua atitude, salva vidas!

Tente fazer exercício físico: aproveite para experimentar exercícios simples em casa (há vídeos online que ajudam à prática de exercícios físicos em casa, yoga, meditação ou até dança, com vídeos online que ajudam a inspirar-se).

Mantenha a rotina: atenção à alimentação saudável, ingestão de muita água e manter a rotina do dia, para preservar a atitude positiva

A internet coloca à disposição inúmeras ferramentas de comunicação

QUANDO SE CONVIVE COM ALGUÉM INFETADO PELO COVID-2019

É imprescindível fazer uma limpeza diária completa para evitar novas infeções. Atenção especial deve ser dada às superfícies em que a pessoa infetada possa ter tocado.

A pessoa responsável pela limpeza deve usar máscara e luvas.

Para a limpeza, deve ser usada uma solução de água sanitária

Limpar diariamente todas as superfícies de contato frequente: maçanetas, mesas, interruptores, torneiras, vasos sanitários, telefones e teclados.

A louça e os utensílios devem ser lavados com água quente e sabão, de preferência em uma máquina de lavar louça para alcançar os 60ºC.

A roupa do paciente pode ser lavada separadamente com o detergente habitual a uma temperatura entre 60º e 90ºC. Deixar secar totalmente.

O QUE É O ISOLAMENTO DE DOENTES?

Considera-se isolamento dos doentes a separação ou confinamento de pessoas com suspeita ou com infeção.

O objetivo desta medida é impedir o estabelecimento de cadeias de transmissão e atrasar e reduzir a transmissão comunitária disseminada, pela redução de contato entre indivíduos doentes e suscetíveis.

Dado que se desconhece o período de contagiosidade, assume-se para a implementação desta medida que o mesmo durará até ao final do período sintomático. Este isolamento pode ocorrer em unidade hospitalar, domicílio ou outro, dependendo da fase da epidemia e da gravidade do quadro clínico.

Habitualmente, o isolamento é voluntário e aceite mediante indicação médica. Em situações extremas, de recusa do doente, pode ser necessário determinar o seu isolamento coercivo, sendo para tal mandatório recorrer ao exercício do poder da Autoridade de Saúde.

Durante a mitigação, com disseminação comunitária generalizada do vírus, o isolamento dos doentes (independente da confirmação laboratorial) deverá ser feito no domicílio ou instituição hospitalar, de acordo com a gravidade da doença e o nível de cuidados necessário.

Os aspetos relativos à gestão de caso e controlo de infeção (em especial daqueles em isolamento domiciliário) são tratados em orientações técnica específica.

O QUE É A QUARENTENA?

A quarentena terá maior impacto na redução da transmissão quando ainda não há circulação generalizada do vírus na comunidade.

A quarentena ou isolamento de contatos refere-se à separação ou restrição de movimentos e de interação social de pessoas que possam estar infetadas com Novo Coronavirus (SARSCoV-2), porque estiveram em contato próximo com caso confirmado de COVID-19, mas, que se mantêm assintomáticas.

O objetivo desta medida é impedir o estabelecimento de cadeias de transmissão e atrasar o início da transmissão comunitária disseminada, podendo justificar-se a sua implementação, de acordo com o nível de exposição do contacto, durante a contenção.

A duração deve ser, de acordo com o conhecimento atual, de 14 dias desde o último contato com o caso confirmado de COVID-19, podendo variar à medida que se for tendo mais conhecimento sobre o período de incubação e período de contagiosidade do vírus.

O isolamento pode ser levado a cabo no domicílio ou em local designado para o efeito. No caso de isolamento dos elementos do agregado familiar, a sua duração pode ser alargada por mais um período de incubação se outro membro do agregado familiar vier a ser um caso confirmado de COVID-19.

O isolamento, quando tecnicamente justificado, pode ser aceite voluntariamente ou, em situações de recusa, ser determinado pela Autoridade de Saúde.

Habitualmente, o que é recomendado aos contatos de casos prováveis ou confirmados de COVID-19 é o confinamento na habitação e a restrição de contatos sociais durante o período de 14 dias após a ocorrência da exposição.

A vigilância ativa ou passiva dos contatos de casos confirmados deve ser efetuada de acordo com orientações específicas.

MEDIDAS (PARA TODOS) QUE ESTÃO NA PRIMEIRA LINHA DE PROTEÇÃO

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença:

Tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo;

Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contato direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%;

Evitar contato próximo com pessoas com infeção respiratória;

Evitar tocar na cara com as mãos;

Evitar partilhar objetos pessoais ou comida.

Ficar em casa é essencial!

“Devem ficar em isolamento, ou seja, devem ficar nos seus domicílios ou num espaço específico para esse efeito e devem evitar contato com outras pessoas, incluindo as do seu agregado familiar. Ou seja, não é por estarem em casa que depois acabam por poder conviver com os seus familiares.”

MEDIDAS DE PREVENÇÃO

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar bem as mãos (dedos, unhas, punho, palma e dorso) com água e sabão, e, de preferência, utilizar toalhas de papel para secá-las.

Além do sabão, outro produto indicado para higienizar as mãos é o álcool gel, que também serve para limpar objetos como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas, etc. Para a limpeza doméstica recomenda-se a utilização dos produtos usuais, dando preferência para o uso da água sanitária (em uma solução de uma parte de água sanitária para 9 partes de água) para desinfetar superfícies.

Utilizar lenço descartável para higiene nasal é outra medida de prevenção importante. Deve-se cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Também é necessário evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

Para a higienização das louças e roupas, recomenda-se a utilização de detergentes próprios para cada um dos casos. Destacando que é importante separar roupas e roupas de cama de pessoas infectadas para que seja feita a higienização à parte. Caso não haja a possibilidade de fazer a lavagem destas roupas imediatamente, a recomendação é que elas sejam armazenadas em sacos de lixo plástico até que seja possível lavar.

Além disso, as máscaras faciais descartáveis devem ser utilizadas por profissionais da saúde, cuidadores de idosos, mães que estão amamentando e pessoas diagnosticadas com o coronavírus. Também é importante que as pessoas comprem antecipadamente e tenham em suas residências medicamentos para a redução da febre, como ibuprofeno e paracetamol, controle da tosse, como xaropes e pastilhas, além de medicamentos de uso contínuo.

Produtos de higiene também devem ser comprados e armazenados como uma medida de prevenção. No caso das crianças, recomenda-se que os pais ou responsáveis, adquiram fraldas e outros produtos em uma maior quantidade para que se evitem aglomerações em supermercados e farmácias. SEM EXAGEIROS!

Fontes colaborativas:    Ministério da Saúde – Brasil

                                      Departamento de Epidemiologia do Instituto Nacional de Saúde – Portugal

Os 7 sites de turismo mais acessados no mundo

Por Redação Nesta semana me deparei com um post do site Skift.com que apresentava os ...

Learn more

Related posts