Browse By

Show de lançamento do CD Canto do Leo, de Leo Russo no Teatro Rival

Por Redação

Leo Russo tem no samba-canção a sua praia. Desde sua estreia na cena musical, em 2013, sempre mostrou-se familiarizado com canções do gênero em seus shows. Mais dos que isso: em entrevistas, nunca escondeu que Nelson Gonçalves estava entre seus cantores favoritos. Numa viagem a Fortaleza, Leo telefonou para Evaldo Gouveia, um dos autores-pilares do gênero, e marcou uma visita. No encontro, conheceu parte da produção atual desse autor. E a vontade de gravá-las foi uma das molas propulsoras para um segundo disco, apropriadamente intitulado Canto do Leo (numa alusão à ação de cantar e ao espaço físico onde fica-se à vontade). O álbum, que vem tendo boa acolhida da crítica, será lançado, dia 1º de dezembro, no Teatro Rival, em noite que terá a participação especialíssima de um dos grandes expoentes do gênero: o cantor Agnaldo Timóteo, com quem vai dividir os vocais em um dueto surpresa. Agnaldo fará também um solo em homenagem a Cauby Peixoto na mítica “Conceição”  (Jair Amorim e Dunga).

 

Por falar em Gouveia, além de “Somos iguais”, as outras três canções do compositor gravadas por Leo estarão no show. São elas “Preciso de alguém”, com Paulo César Pinheiro, e as inéditas “Pôster”, outra com Paulo César Pinheiro, e “Nada mudou”, esta com Fausto Nilo.   O repertório trará ainda as quatro canções autorais de Leo (“Sim ou não”, “Olhos de mar”, “Olhos teus” e “Leva o jornal”, esta em parceria com Gisa Nogueira). O público vai ouvir ao vivo dois temas pescados do repertório de Roberto Ribeiro e também gravadas no disco: o samba “Manhã de primavera” (Christiano Fagundes) e “Razão e emoção” (Vadinho e Renato Barros). Fechando o grupo de canções do disco, não poderão faltar a clássica “Meu vício é você” (Adelino Moreira) e “Dois bombons e uma rosa”, de Aldir Blanc, que assina sozinho letra e melodia desta joia.

 

Em se tratando de um show que tem no samba canção sua razão de ser, não faltarão clássicos do gênero cantados há muito por Leo em shows. Quatro dessas pérolas são assinadas por Cartola: “Acontece”, “Peito vazio”, “As rosas não falam” e “O mundo é um moinho”. A noite fica completa com “Sonhei que estavas tão linda” (Lamartine Babo), “Ela disse-me assim” e Nunca”, ambas de Lupicínio Rodrigues, “Matriz ou filial” (Lúcio Cardim), “Brigas”, outra da lavra Evaldo Gouveia e Jair Amorim, e, por fim, duas em homenagem a Nelson Gonçalves: “A volta do boêmio” (Adelino Moreira) e “Naquela mesa” (Sergio Bittencourt).

 

Show de lançamento do CD “Canto do Leo”

Músicos: Luís Barcelos (direção musical, violão e bandolim), Lúcio Rodrigues (violão de 7 cordas), Marcio Hulk (cavaquinho), Dirceu Leite (flauta e clarinete), Magno Júlio e Paulino Dias (percussões)

 

Cenografia: Daya Ananias

 

Serviço show:

Dia e hora: 1º de dezembro (sexta), às 19h30m

Local: Teatro Rival Petrobras (R. Álvaro Alvim, 33, Cinelândia. Tel: 2240-9796 )

Abertura da casa: 18h

Ingressos: R$ 60 (R$ 30 meia) e R$ 50 (R$ 25 meia)

Capacidade: 400 lugares

Funcionamento bilheteria: de terças à sexta, do meio-dia às 22h. Sábados, das 16h às 22h

Classificação etária: 18 anos

 

Salgueiro apresenta a sinopse do enredo “Senhoras do Ventre do Mundo”, para 2018

Por Redação “Eu sou o ventre principal, a Terra-Negra, a grande Mãe Universal, a ...

Learn more