Browse By

NELSON SARGENTO, por Marcelo Faria – Copyright 2013 – Portal Sambrasil / Agência Sambrasil

NELSON SARGENTO, por Marcelo Faria – Copyright 2013 – Portal Sambrasil / Agência Sambrasil
Imagem produzida durante show no Teatro Rival

Por Marcelo Faria

Imagem produzida durante show no Teatro Rival

Nelson Mattos (Rio de Janeiro, 25 de julho de 1924), é compositor, cantor, pesquisador da música popular brasileira, artista plástico, ator e escritor brasileiro. Mantem-se em atividade no alto dos seus 93 anos.

Em homenagem aos 90 anos do sambista, o Portal EBC preparou uma matéria especial com entrevistas e vídeos exclusivos do bamba da Mangueira.

O Sargento, do autor do samba Agoniza, mas não morre (de 1979), corresponde, na verdade, a mais alta graduação que o cidadão Nélson Mattos atingiu quando serviu ao Exército brasileiro. Viveu durante longos anos nos morros da cidade do Rio de Janeiro. Atualmente vive em Copacabana e é considerado cidadão do mundo, já que sua música é conhecida, pelo menos, nas Américas e no Japão. Casado com Evonete Belizario Mattos – empresária e produtora – criou onze filhos e vários netos e bisnetos. O compositor mangueirense possui, aproximadamente, quatrocentas músicas em seu repertório. Mudou-se do Morro do Salgueiro para o Morro da Mangueira aos 12 anos de idade. Nelson Sargento milita pelo samba desde os anos 1950, quando o gênero era marginalizado. Nélson integrou o conjunto A Voz do Morro, ao lado de Paulinho da Viola, Zé Kéti, Elton Medeiros, Jair do Cavaquinho, José da Cruz e Anescarzinho. Entre seus parceiros de composição musical, estão Cartola, Carlos Cachaça, Darcy da Mangueira, João de Aquino, Pedro Amorim, Daniel Gonzaga e Rô Fonseca.

Escreveu os livros “Prisioneiro do Mundo” e “Um certo Geraldo Pereira”. O próximo, já no prelo, tem como título provisório “O Samba eu” e narra, de maneira romanceada, mas com detalhes que vêm à tona graças à sua memória, passagens da sua vida. Atuou nos filmes “O Primeiro Dia”, de Walter Salles e Daniela Thomas, “Orfeu” de Cacá Diegues, e “Nélson Sargento da Mangueira” de Estêvão Pantoja, que lhe valeu a premiação do Kikito, no Festival de Gramado, pela melhor trilha sonora entre os filmes de curta metragem.

É um ilustre torcedor do Vasco da Gama, tendo participado do Megashow comemorativo dos 113 anos do clube, onde apresentou sua música “Casaca, Casaca”, exaltando seu amor pelo Vasco.

Sonho da Cidade do Samba 2 está mais próximo de virar realidade

Por Redação O Portal Sambrasil apurou que quatro escolas da Série A estão sem ...

Learn more