Browse By

NEGUINHO DA BEIJA-FLOR, por Marcelo Faria – Copyright 2012 – Portal Sambrasil / Agência Sambrasil

NEGUINHO DA BEIJA-FLOR, por Marcelo Faria – Copyright 2012 – Portal Sambrasil / Agência Sambrasil
Imagem produzida durante o Botequim da Cidade do Samba / RJ

Por Marcelo Faria

Imagem produzida durante o Botequim da Cidade do Samba / RJ

Luiz Antônio Feliciano Marcondes (nascido em Nilópolis, 29 de junho de 1949), é um sambista, puxador de samba, intérprete musical, cantor e compositor brasileiro. É, desde 1976 (quando estreou na Marquês de Sapucaí), o intérprete oficial da Beija-Flor.

Filho de um músico ganhou um concurso de cantores mirins, aos dez anos de idade, puxando um samba de Jamelão. Como prêmio, Neguinho levou para a casa uma lata de goiabada. Dono de voz potente e afinada estreou como puxador de samba no bloco Leão de Iguaçu, em 1970. Rejeitado nas alas de compositores de Salgueiro, Império Serrano, Portela e Mangueira, o jovem sambista chamou a atenção de Cabana (Silvestre David da Silva), compositor dos primórdios da Beija-Flor, que o convidou para se juntar aos músicos da escola. Assim, transferiu-se para a Beija-Flor de Nilópolis em 1975 (até então era conhecido por Neguinho da Vala, apelido nascido na infância terrivelmente pobre, em Nova Iguaçu, atravessada entre as valas da vizinhança[3]). Na Beija-Flor de Nilópolis, criou o bordão “Olha a Beija-Flor aí, gente!” (o grito de guerra mais famoso do carnaval), e continua no cargo até hoje. A Beija-Flor faz parte da vida de Neguinho de tal forma que ele incorporou o nome artístico à sua certidão de nascimento. Além disso, ele é o único dos intérpretes de todas as escolas a cantar de graça. Segundo ele “se alguém tivesse que pagar, seria eu à Beija-Flor. Tudo que consegui na vida devo à escola. Por ela, sempre cantei de graça e sempre vou cantar.

Lançou o primeiro disco em 1980, ao qual seguiram-se outros, com sucessos como os sambas-enredo “Os Cinco Bailes da História do Rio” (Silas de Oliveira / Dona Ivone Lara / Bacalhau), “Aquarela Brasileira” (Silas de Oliveira), “Sonhar com Rei Da Leão” (de sua autoria) ou sambas-canção, como “Nervos de Aço” (Lupicínio Rodrigues). Outros êxitos são “Ângela” (Serginho Meriti / Alexandre), “Divina” (Alexandre), “Magali”, “Esmeralda” e “O Campeão (Meu Time)”, sua composição de maior sucesso, cantada em estádios de futebol (“Domingo eu vou ao Maracanã / Vou torcer pro time que sou fã”).

 

Ganhou o prêmio Sharp de 1991 na categoria “melhor cantor de samba”. É considerado o melhor intérprete de samba enredo, é discípulo do maior de todos, Jamelão. Com 40 anos de carreira continua em plena atividade, sua carreira muito bem solidifica, transita facilmente pelo mundo samba, com seus sambas cantados em todas as rodas de samba. Hits como: A Deusa da passarela é ela, Bem melhor pra você, Gamação danada (c/ Almir Guineto), Malandro é malandro, mané é mané, Malandro também chora, Meu Rio de Janeiro, O Campeão (Meu time), Rosa, flor mulher (c/ Damião), Ângela, entre outros, são sempre lembrados.

Salgueiro define seu enredo para o carnaval 2019

Por Redação Durante sua tradicional feijoada o GRES Acadêmicos do Salgueiro anunciou seu ...

Learn more