Browse By

ALUÍSIO MACHADO, por Marcelo Faria – Copyright 2015 – Portal Sambrasil / Agência Sambrasil

ALUÍSIO MACHADO, por Marcelo Faria – Copyright 2015 – Portal Sambrasil / Agência Sambrasil
Imagem produzida durante o show do projeto MPB 12:30 em ponto, no Centro Cultural Light

Por Marcelo Faria

Imagem produzida durante o show do projeto MPB 12:30 em ponto, no Centro Cultural Light

Alcides Aluísio Machado (Campos dos Goytacazes, RJ, 13 de abril de 1939) é compositor, cantor e dançarino, foi mestre–sala (Em 1963 desfilou pela primeira vez, como mestre-sala na Imperatriz Leopoldinense). Entrou para ala de compositores do GRES Império Serrano e compôs grandes clássicos do samba enredo, entre eles “Bumbum Paticumbum Prugurundum” em parceria com Beto sem Braço, quando a escola sagrou-se campeã do Carnaval de 1982.

Na década de 1960, atuou como músico, ao lado de Nara Leão e João do Vale no show “Opinião”. No ano de 1963 seu samba “Meu mundo caiu” (c/ Walter Rosa) foi incluído no LP “As Grandes Escolas de Samba”, na interpretação instrumental da Orquestra e Coro Odeon.

Entre os anos de 1971 e 1983 participou ativamente da “Noitada de Samba”, no Teatro Opinião, em Copacabana, evento idealizado e produzido pela dupla Jorge Coutinho e Leonildes Bayer, no qual participavam João Nogueira, Dona Ivone Lara, Nei Lopes, Wilson Moreira, entre outros.

O ano de 1981 foi bem profícuo para o compositor, vários intérpretes gravaram suas obras: “Minha filosofia” (por Alcione); “O suburbano” (c/ Beto Sem Braço) por Almir Guineto; “Escasseia” (c/ Beto Sem Braço e Zé do Maranhão) por Beth Carvalho no LP “Na fonte”; “Te contei” (c/ Beto Sem Braço), pelo grupo Sambrasil no disco “Meu samba” e as faixas “Meu amanhã” (c/ Ovídio Bessa) e “Novo endereço” (c/ Beto Sem Braço e Zé do Maranhão) pelo grupo Sambatour.

No ano de 1984, ao lado de Wilson Moreira, Nei Lopes, Cláudio Jorge e Sonia Ferreira, participou do projeto “Roda de Samba”, no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro.

No ano de 1996, em parceria com Beto Pernada, Lula, Índio do Império e Arlindo Cruz, compôs o samba-enredo “E verás que um filho teu não foge à luta”, com o qual a Império Serrano desfilou naquele ano e ganhou o prêmio “Estandarte de Ouro”, do Jornal O Globo, na categoria “Melhor Samba-Enredo”.

No ano de 2006, com Dona Ivone Lara e outros compositores importantes do Império Serrano, participou do show e do CD “Império Serrano – Um Show de Velha Guarda”, lançado pela gravadora Biscoito Fino. Neste mesmo ano o Império Serrano desfilou com seu samba-enredo “O Império do Divino”, em parceria com Arlindo Cruz, Carlos Sena, Elmo Caetano e Maurição, quando também conquistou mais uma vez o prêmio “Estandarte de Ouro”.

Em 2014 recebeu o título de “Cidadão Samba 2014” no evento “Carnaval Histórico”, realizado no Imperator – Centro Cultural João Nogueira, no Méier, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Em 2015, voltou a se apresentar no projeto “Meio Dia em Ponto”, criado pelo produtor cultural Paulo Roberto Direito, do Centro Cultural da Light, em show com roteiro e apresentação de Ricardo Cravo Albin. Na ocasião, interpretou composições de sua autoria. Na entrevista falou sobre seus vários prêmios recebidos durante a carreira de compositor de samba-enredo da Escola de Samba Império Serrano.

Zezé Motta lançando o seu recomendado CD “O Samba Mandou Me Chamar”

Por Redação O projeto Quartas Brasileiras completou 3 anos em março e orgulhosamente ...

Learn more
error

Gostou do Portal Sambrasil? Então siga-nos e inscreva-se!