Browse By

A Portela traz para a avenida os Rios por ela navega em seu desfile

Por Gilvan Lopes e Carol Ferreira

Fotos por Mariana Barcellos e Marcelo Faria

Suporte Técnico: Julia Fernandes

Editor Chefe: Marcelo Faria

Com o enredo “Quem nunca sentiu o corpo arrepiar ao ver esse rio passar”, desenvolvido pelo carnavalesco Paulo Barros e sua equipe, a Portela voa pela Sapucaí e realiza seu desfile. Entre todos havia o sentimento de que, mesmo sem a presença física do saudoso presidente Marcos Falcon, a presença dele era sentida espiritualmente, conduzindo a escola.

O Presidente Luiz Carlos Magalhães, falando ao Portal de Notícias Sambrasil – www.sambrasil.net, deixou claro que a escola não está pronta para simplesmente passar na Avenida. “- Viemos para conquistar o título de campeã do carnaval, o que selará um trabalho brilhante de toda a nossa comunidade.”.

Podem acreditar, que com o desfile que a Portela realizou, ela está credenciada realmente ao título. Em dois dias de desfiles, várias agremiações tiveram problemas e àquelas que realmente conseguiram passar na Avenida de forma tranquila e regular, somente estas estarão em condições de disputarem o título.

Segue o resumo da sinopse do enredo: O rio inspira os homens. De suas águas, pescam o sonho e o conhecimento, colhem a história e o encantamento. O rio azul e branco nasce da fonte de onde se originam a vida e as culturas humanas. Prima matéria, a água doce está associada aos mitos de criação do universo das antigas civilizações, é a manifestação do sagrado nas religiões e a maior riqueza para as sociedades modernas. A Águia bebe dessa água cristalina em sua nascente, onde brota o bem mais precioso criado pela natureza. No berço do samba, o pássaro abençoa a passarela, leito do rio da Portela. Segue recolhendo a poesia de muitos outros rios, enquanto mantém o seu rumo. Atravessa a Avenida, lavando a alma de quem deseja ver o rio passar, saciando a sede de vitória, irrigando de alegria o povo que habita a beira do rio. Suas águas purificam o corpo, afogam a tristeza e renovam as forças a cada alvorada. Convida a conhecer seus mistérios, cruzando aldeias e povoados, cidades e países distantes.

O rio é velho e por ele correm muitas histórias, porque sempre esteve ali a guardar os segredos das águas que deram origem ao mundo. O rio é novo porque está sempre em movimento e nunca passa duas vezes pelo mesmo lugar. O rio não pode voltar. Ele segue em busca do seu destino. Nasce como um fio d’água, calmo e sereno, e continua para receber muitas contribuições em seu curso. Enquanto cresce, irriga e fecunda as margens de onde se colhe o alimento do corpo e da alma. Avança sobre a terra e não se deixa vencer pelas pedras que encontra no caminho. Passa inspirando canções e poemas, linhas e formas sinuosas. Em sua exuberância, desfila entre matas, plantações, casas humildes e mercados, do interior até chegar às grandes metrópoles e receber as imensas construções fincadas em suas margens. O homem e o rio estão ligados pelo corpo e pelo espírito. Os artistas, músicos e cantadores, arquitetos e escritores incorporam a alma do rio e refletem suas imagens. Aqueles que se entregam à devoção e murmuram suas preces, pedidos e promessas fazem procissões e oferendas, agradecidos pelos desejos atendidos. O homem tira a vida do rio. A vida é como um rio que corre em direção ao seu destino.

Ouça o samba:

{play}audios/liesa3_portela2017.mp3{/play}

Compositores: Samir Trindade, Elson Ramires, Neyzinho do Cavaco, Paulo Lopita 77, Beto Rocha, Girão e J.Sales

VEM CONHECER ESSE AMOR

A LEVAR CORAÇÕES ATRAVÉS DOS CARNAVAIS

VEM BEBER DESSA FONTE

ONDE NASCEM POEMAS EM MANANCIAIS

RELUZ O SEU MANTO AZUL E BRANCO

MAIS LINDO QUE O CÉU E O MAR

SEMENTE, DE PAULO, CAETANO E RUFINO

SEGUE SEU DESTINO E VAI DESAGUAR

A CANOA VAI CHEGAR NA ALDEIA

ALUMIA MEU CAMINHO, CANDEIA

ONDE MORA O MISTÉRIO, TEM SEDUÇÃO

MITOS E LENDAS DO RIBEIRÃO

CANTAM PASTORAS E LAVADEIRAS PRA ESQUECER A DOR

TRISTEZA FOI EMBORA, A CORRENTEZA LEVOU

JÁ NÃO DÁ MAIS PRA VOLTAR (Ô IAIÁ)

DEIXA O PRANTO CURAR (Ô IAIÁ)

VAI INSPIRAÇÃO, VOA EM LIBERDADE

PELAS CURVAS DA SAUDADE

OH MAMÃE ORAYEYEO VEM ME BANHAR DE AXÉ ORAYEYEO

É ÁGUA DE BENZER, ÁGUA PRA CLAREAR

ONDE CANTA UM SABIÁ

SALVE A VELHA GUARDA, OS FRUTOS DA JAQUEIRA

OSWALDO CRUZ E MADUREIRA

NAVEGA A BARQUEATA AOS PÉS DA SANTA EM LOUVAÇÃO

PARA MOSTRAR QUE NA PORTELA O SAMBA É RELIGIÃO

O PERFUME DA FLOR É SEU

UM OLHAR MAREJOU SOU EU

QUEM NUNCA SENTIU O CORPO ARREPIAR

AO VER ESSE RIO PASSAR

Ficha Técnica:

Fundação:      11 de abril de 1923 (93 anos)

Cores: Azul e Branco

Símbolo:         Águia

Bairro: Oswaldo Cruz e Madureira

Presidente:     Luis Carlos Magalhães

Presidente de honra:  Monarco

Carnavalesco:            Paulo Barros

Figurinista e Carnavalesco: Paulo Menezes

Intérprete oficial:        Gilsinho

Direção de Carnaval: Paulo Barros, Fábio Pavão, Moisés Carvalho e Claudinho Portela

Direção de Harmonia: Chopp, Jerônimo, Leonardo Brandão, Nilce Fran, Valci Pelé, Márcio Emerson, Jorge Barbosa, Sérvulo Jorge e Walter Moura

Diretor de bateria:      Nilo Sérgio

Rainha da bateria:      Bianca Monteiro

Mestre-sala e porta-bandeira : Alex Marcelino e Danielle Nascimento

Coreógrafo:    Renato Vieira

Desfile de 2017

Enredo:           “Quem nunca sentiu o corpo arrepiar ao ver esse rio passar…”

Samba na Fonte comemorou seus 10 anos com lançamento de CD no Teatro Rival

Por Marcelo Faria Fotos por Marcelo Faria e Mariana Campos O Movimento de Compositores ...

Learn more